facebook

Clube Atlântico de Esgrima

Logotipo
Outra vez por minha conta... PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

   Com a chegada à última semana de aulas (uma vez que a semana de 4 a 8 é destinada a parte dos exames finais) tudo começa a saber um pouco a… fim. As saudades da Família e dos Amigos já pedem o reencontro há algum tempo mas, do ponto de vista esgrimistico, a sensação é… estranha.

  

   Estes meses inteiramente dedicados à esgrima foram absolutamente incríveis. Por muito que me esforce, qualquer descrição que aqui faça será sempre escassa, muito aquém do que vivi, aprendi, reflecti e adaptei.

   A verdade é que ao longo deste tempo desliguei-me da minha realidade e fui construindo uma nova realidade. Quando durante a semana passada falava no msn com o “Cota Miguel”, comecei a consciencializar-me que pouco ou nada tinha mudado. Os mesmos problemas de sempre, as mesmas batalhas nas pequenas coisas que nos desgastam… Em poucos segundos foi como se tivesse levado um estalo para acordar e voltar à Terra.

  

   Quando estava no último ano da Universidade recordo-me de uma situação curiosa. Dei comigo a pensar que, pela primeira vez na vida iria estar “por minha conta”. Seria eu a traçar o meu caminho mas, o que realmente me estava a assustar na altura era que, se não quisesse traçar nenhum caminho e me fecha-se em casa, nada iria acontecer, nem ninguém me viria dizer que eu estava em falta, podendo terminar o meu percurso imediatamente naquele ponto. Durante a escola, o fim de cada ano é marcado pela necessidade de inscrição no ano seguinte, mas o fim do percurso escolar, abria-me inúmeras portas, caso eu estivesse na disposição de colocar a mão na maçaneta, rodá-la e empurrar a porta. Se não o fizesse… nada aconteceria. Estava por minha conta.

 

   Talvez seja um pouco isso que estou a sentir agora. Não com o mesmo receio de então (o medo de querer parar) mas com o receio de me ver travado por factores que não controlo.

   O que é certo é que, passados 11 anos sobre o fim dos meus estudos, olho para trás e vejo pela carreira que construí quer na Escola, quer no Desporto, que não dei grande margem de manobra ao meu receio de então. Envolvi-me na vida da Escola, 8 anos integrado na Direcção da mesma e iniciei o projecto de um Clube de Esgrima, que com 4 anos de existência (1996-2000) voltou à estaca zero começando de novo numa nova estrutura.

   Hoje um conjunto de pessoas fantásticas demonstrou que a Sala de Armas do Parede FC já era muito mais do que um Clube a girar à volta de um treinador. Hoje será fácil dizer-se que se estava à espera que as coisas corressem bem na minha ausência (os resultados falam por si), mas a verdade é que poucos acreditámos que a estrutura já tinha toda esta solidez.

 

   Este curso na Hungria foi mais do que alguma vez idealizei. Agora, resta-me despertar deste Sonho e torná-lo realidade… Estou outra vez por minha conta.

 

 

sonho

 

Comentarios (5)

...
0
tas outra vez por tua conta..mas desta vez nao tas sozinho!beijocas*
Sara Nascimento , 26 de Maio de 2007
...
0
A estrutura está relativamente sólida até ao andar em que estamos. Precisamos agora de construir o resto do edifício. Como "alguém" costuma dizer...Em guarda! Prontos? Continuar...
João Cruz , 26 de Maio de 2007
...
0
" De facto existe uma grande diferença entre os treinadores e professores mais jovens e os mais experientes. Os primeiros estão cheios de respostas, enquanto os segundos estão carregados de perguntas"
(Frazão,2007: http://www.esgrimapfc.com/inde...d=88888890)

Gosto e por isso cito.
espero que isso não seja retórica e que passes rapidamente para o "clube dos velhos" que aprendas a aprender com as "respostas dos novos" de modo a que possas colocar-te as tuas questões essenciais, aquelas que fazem a verdadeira diferença e que te podem diferenciar dos demais como já diversa vezes te afirmei.
Um g'and'abraço, sorte para as rovas e que bons ventos te tragam à nossa presença...

Carlos Silva
Carlos Silva , 26 de Maio de 2007
...
0
Like the vision of the monkey limited by the jail bars at the zoo, our own way of doing things is limited by different aspect, such as our personality, ability, sensibility, life history, knowledge and motivation. These are the "jail bars" of our performance but, opposite to the zoo monkey, we have the capacity to enlarge the gridlines of our "jail" reflecting, adjusting and learning.
Nuno Frazão

Tal como o meu amigo Carlos Silva, começo com uma citação… ainda sublinho no artigo de ontem "o muito que vivi, aprendi, reflecti, adaptei"…
Ao voltar a esta realidade vais encontrar muitas grades…os tais factores que podem ser mais difíceis de controlar…a pequenez das coisas… a rotina do dia a dia… mas a verdade é que estás cada vez mais apto a alargar as grades… com o que aprendeste (e foi muito porque já sabias muito) o que reflectiste (depois dos cento e tal artigos que aqui escreveste…) o que adaptaste (agora é só continuar adaptar a esta realidade…)
No fundo essa experiência foi tão importante porque veio acrescentar muito, ao muito que tu já tinhas dentro de ti!!
Como também dizes, o teu percurso de vida mostra que sabes muito bem, estar por tua conta…
Nem precisas de despertar, não tens estado a dormir… só tens que…seguir os teus Sonhos…
Bom regresso!!
Rosário Simão , 27 de Maio de 2007
...
0
Segue os teus sonhos,sejam eles quais forem!!Apesar de todas as jaulas que existem pela vida fora,a nossa vontade tem 1 força incrivel e mts vezes só há é que tomar decisões!!Quase nunca são faceis mas há que toma-las.. Segue o que acreditas que te faz feliz..
Celi , 27 de Maio de 2007

Escreva seu Comentario

Voce precisa estar logado para postar um comentario. Por favor registre-se se caso nao tenha uma conta

busy
 
bannerdiariodonuno

Eventos

Outubro 2017 Novembro 2017 Dezembro 2017
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30

Próximos Eventos

Não há eventos agendados.
Visualizar calendário completo

Área Reservada



Parceiros


Desenvolvimento de sites por Made2Web
® 2008 - Clube Atlântico de Esgrima
Todos os Direitos Reservados