Diário do Nuno, uma espreitadela no passado – “Concentrar na Tarefa”, “Uma em mil” e “Quando tudo não chega”. Versão para impressão
Diário do Nuno
Escrito por Nuno Frazão   
Domingo, 17 Janeiro 2010 22:35

O Diário do Nuno, tendo eu assumido que seria para escrever muito para além do simples relato do dia-a-dia do Mundial de Linz, como expliquei no artigo anterior, teve uma missão bem complicada logo nos primeiros artigos.

ampulheta9

 

Ao 4º dia de existência do Diário, o grupo de trabalho era posto à prova com uma situação para a qual não estávamos preparados.

 

O grupo era unido e o ambiente era já o de uma “Família”, tal qual acontece hoje. A Selecção dos 3 atiradores para o Mundial tinha também aproximado as 3 famílias, com os Pais a envolverem-se nesta primeira grande participação internacional dos seus filhos, preparando-se para os acompanhar a Linz.

 

A notícia caiu no seio do grupo como uma bomba. Um familiar próximo de um dos atletas tomava conhecimento de que tinha uma grave doença e havia que travar uma batalha sem tréguas numa verdadeira luta contra o tempo.

 

A Família agarrou na Esgrima e na Tarefa de ser Atleta, como um exemplo para o combate que teria pela frente. Enquanto o grupo ainda estava meio perdido, sem saber como ajudar, já a Família nos mostrava que era através da nossa forma de estar no desporto e na determinação com que perseguíamos os nossos sonhos e objectivos que estava a ajuda que na altura lhes podíamos dar.

 

Percebi então que todos podíamos aprender algo com a situação que estávamos a viver.

 

Havia que reforçar a ideia de que os imprevistos fazem parte da realidade e que, perante essas situações, o que temos de fazer é focarmo-nos na solução e não lamentarmo-nos com o problema.

 

Nascia assim o artigo:

 

 

“Concentrar na tarefa...

 

O desporto é um Mundo muito especial. Por muito que estejamos preparados para a generalidade das adversidades estamos sempre sujeitos ao imprevisto que, muitas vezes, nos surpreende com situações bem difíceis.

 

     Quantos de nós não passámos já por situações como estas:

· Estamos em grande forma e... lesionamo-nos

· Fazemos um bom resultado na Poule e calhamos com um adversário fortíssimo que não esteve tão bem no início da prova

  

     Em casos como estes temos duas opções: centramo-nos na nossa "desgraça" e lamentamo-nos da falta de sorte ou reunimos todas as forças, identificamos a adversidade, preparamos a resposta com "as armas" do momento e... concentramo-nos na tarefa.

 

    A vida, tal como o desporto, é fértil em surpreender-nos com imprevistos difíceis de lidar. Cabe-nos escolher, sempre que possível, a segunda opção acima mencionada...

 

18/03/2005

Nuno Frazão”

 

 

Acreditar que era possível, mesmo quando as possibilidades eram reduzidas, foi o passo seguinte com o artigo:

 

“Uma em mil...

 

Fernando Peña foi um espadista Espanhol com grandes desempenhos desportivos nos anos 90.

   Quando eu tinha cerca de 20 anos, lembro-me de estar numa prova internacional a conversar com ele sobre as minhas possibilidades como atirador. Nestes primeiros embates com o circuito mundial de seniores sentia-me bem inferior aos melhores atletas, distancia essa que me parecia sempre impossível de encurtar.

    Foram mais ou menos estas as palavras do Fernando -"quando jogas com o Campeão do Mundo as tuas hipóteses de vitória são uma em mil. Isto não significa que tens que perder 999 vezes e que à milésima serás vencedor, mas sim que, cada vez que o defrontas, estás a disputar a tua vitória."

    Para mim estas palavras foram muito importantes e, em tudo na vida, por muito pequenas que sejam as possibilidades de êxito não me esqueço que a cada momento estou a disputar a minha vitória. Nem que a probabilidade seja... uma em mil...

 

9/04/2005

Nuno Frazão”

 

No mês seguinte, tal como acontece inúmeras vezes no Desporto, o esforço, a dedicação, a vontade e a muita luta não foram premiados com um desfecho positivo.

 

Apesar de uma evolução aparentemente positiva, um retrocesso imprevisto, impediu o sucesso nesta luta desigual.

 

Chegava assim o artigo:

 

“Quando Tudo... não chega.

 

   Tenho falado nalguns artigos sobre o caminho para o sucesso. Pequenos aspectos que, em conjunto com a base essencial, colocam o atleta em condições de obter resultados positivos.

   Hoje tenho que falar sobre os insucessos que ocorrem, mesmo quanto Tudo foi feito.

   A equipa de espada Italiana dos anos oitenta e noventa era composta por um conjunto de jogadores de sonho. Angelo Mazzoni, Sandro Cuomo, Mauricio Randazzo e Sandro Rezegotti eram possíveis vencedores em todas as competições que entravam e muitas foram as conquistas individuais e de equipas que abarcaram no seu palmarés. Eram talentosos, dotados de tudo o que caracteriza um campeão, tinham os melhores Mestres e todas as condições imagináveis mas... nenhum deles conseguiu ser Campeão do Mundo individual.

   Num contexto muito recente, presenciámos o Chelsea de Mourinho, dotado de Tudo o que é necessário para o sucesso, falhar a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus.

   Existe de facto um "factor de imprevisibilidade" que não é possível controlar. Não falo de sorte, porque, como diz o Professor Moniz Pereira "Ela existe no desporto mas dá muito trabalho a conquistar.", mas sim de uma pequena percentagem de incerteza que faz com que exista a possibilidade de não obter êxito, mesmo que Tudo esteja preparado para o permitir. Talvez seja esse factor que torna o desporto tão belo e por vezes... tão cruel.

   Mesmo quando se faz tudo, há momentos em que Tudo... não chega.

18/5/2005

Nuno Frazão”

Nestes primeiros meses do Diário dei por mim a utilizar a escrita para “pensar em voz alta”.

Reflectir sobre diversos temas, encontrando na minha experiência no Mundo do Desporto (espectador, atleta, treinador, estudante…) algumas histórias para os ilustrar, foi o primeiro passo.

A família que acima referi, e que passou por este momento tão difícil, abriu outras portas ao Diário do Nuno. Extrapolaram as abordagens desportivas dos temas para as situações da vida extra-desportiva, dando aos artigos uma dimensão muito mais ampla.

As características do Diário estavam agora plenamente definidas. A reflexão sobre os diversos temas iria sempre procurar “cruzar” o Desporto e a Vida no geral.

Compreendia agora muito melhor a força daquilo em que sempre tinha acreditado. A prática Desportiva prepara-nos para a Vida, colocando-nos desde cedo em situações, cujas estratégias para as ultrapassar – disciplina, método, trabalho, confiança, vontade, respeito… - serão ferramentas essenciais para percorrermos o nosso caminho ao longo da Vida, quer seja fazendo frente aos imprevistos mais difíceis, quer seja a desfrutar os momentos de maior felicidade.